terça-feira, 22 de março de 2011

Trailer

Assim como eu, certamente você já achou que seu relacionamento era o mais difícil do mundo. Todos os casais já pareceram incrivelmente felizes como em final de novela. Eu sei muito bem o ódio que você sentiu quando estava muito puta com seu namorado pela milionésima vez pelo mesmo motivo e avistou dois amantes passeando pelo shopping de mãos dadas sorrindo pra vida e rindo um do outro, dando a maior impressão de que eles são assim 24 horas.

Dia desses tomei um susto ao saber que um casal, que eu tinha certeza ser o mais bem resolvido de todos os casais da Via Láctea, alimentava uma relação confusa. A informação veio de uma amiga em comum, que ao pé do ouvido disse: "a história deles é complicada." E aquilo pareceu mais grave do que eu imaginava, visto que eles estão prestes a se casar e a minha amiga não quis entrar em detalhes. Tenso.

Por mais que uma história de amor seja linda, ela tem seus altos e baixos. Em todo e qualquer relacionamento, inclusive nos de final de novela, a felicidade é mutável. No início há o entusiasmo e a euforia da novidade e da vontade de fazer tudo ao mesmo tempo e agora. De viver o amor como se fosse acabar a qualquer momento. Tudo é lindo, cor de rosa, romântico e ninguém quer estragar essa fase por nada. Mas o tempo passa, a paixão acaba e o belo se muda para outros departamentos.

Não é à toa que fazem piada com casamento e dizem que é uma instituição falida e que é muito dificil manter um. Ninguém nunca falou que era fácil. A cerimônia é linda e a lua de mel parece inesquecível. Mas é só um trailer. Vai assistir o filme depois pra você ver! Depois de pagar caríssimo para mostrar pra Deus e o mundo que vai ser feliz para sempre, entre as quatro paredes o casal realmente se casa e o filme começa.

No filme da vida real, o romantismo e a felicidade estão em fazer as pazes após uma briga homérica, em entender como você pode amar imensamente alguém tão cheio de defeitos, em ver como todas aquelas atitudes que lhe irritavam e tiravam seu sono simplesmente ficaram pequenas, em aprender a adivinhar o que o outro está pensando só pelo olhar e evitar uma confusão... O belo deixa de ser uma declaração de amor pública e se torna a mera lembrança de comprar sua fruta preferida na feira do mês.

4 comentários:

  1. É e-xa-ta-men-te isso, um trailer.

    ResponderExcluir
  2. Amei o texto amiga! O negócio é admirar o outro pelo que ele é e não pelo que vc quer que ele seja...mas onde encontrar o meio termo? Como n ser 8 nem 88? A festa acaba, o público vai embora e vc e seu amor ficam pra pg as contas todo mês, dividir a casa, a cama, a tristeza, a felicidade e tentar fzr de tudo p o filme de suspense virar uma eterna comédia romântica.
    Bjo amiga linda ;*

    ResponderExcluir
  3. muito bacana o texto. para um chegar não fase de um adivinhar oque o outro precisa ou deseja pode levar anos e não sair como esperamos.
    bjao

    ResponderExcluir